quarta-feira, 8 de janeiro de 2014

O Deus do Impossível.

“Jesus, fixando neles o olhar, respondeu: Aos homens é isso impossível, mas a Deus tudo é possível.” Mateus 19. 26. Recentemente tive uma conversa com um jovem que me deixou um tanto preocupado. Ele professa ser cristão de uma denominação evangélica bem difundida em nosso país. Durante os vários assuntos que surgiram em nossas conversas, a que me deixou preocupado com ele, foi sobre a salvação em Cristo. Segundo ele nenhum ser humano pode dizer que está salvo, pois a salvação é muito difícil. Se a pessoa não fizer por merecer a salvação ela não será salva. Ele crê que não é somente crendo na Pessoa e Obra do Senhor Jesus Cristo, mas também é necessário a perseverança em obediência, caso contrário esta pessoa pode perder a sua salvação. Mas o mais curioso é que por diversas vezes este jovem me questionou se eu cria em milagres, em profecias, em revelações, estes supostos sinais que erroneamente são bem difundidos no meio pentecostal. Ele me perguntou várias vezes se eu cria na prosperidade financeira, se ia no monte, se jejuava, e coisas do tipo. Bom eu não quero, e também não terei tempo para expor aqui aquilo que a Bíblia ensina sobre cada uma destas coisas. Mas o que me deixa perplexo com este tipo de pessoa é o fato em que elas tem fé que Deus pode fazer o impossível, no sentido de curar, profetizar, realizar sinais, fazer aparições extraordinárias, fazer alguém prosperar e etc. Mas este mesmo Deus não pode salvar definitivamente o pecador arrependido que confia de todo coração na obra redentora do Senhor Jesus Cristo. Eu fico pensando o que estas pessoas fazem com o texto de João 3. 16: “Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.”. O Senhor Jesus Cristo é muito claro ao dizer que aquele que Nele crê, têm a vida eterna, Ele não diz que terá, conjugação verbal que expressa algo ainda futuro, mas simplesmente tem. Ou seja a vida eterna é algo presente naqueles que converteram ao Senhor Jesus. Ou então com o texto de João 5. 24: “Em verdade, em verdade vos digo que quem ouve a minha palavra, e crê naquele que me enviou, tem a vida eterna e não entra em juízo, mas já passou da morte para a vida.”. Além do Senhor Jesus expressar que, os que ouvem a sua palavra, e crê Naquele que o enviou, têm a vida eterna, novamente destacando que é algo presente nos que creem. Ele ainda acrescenta que, esta pessoa não entrará em Juízo, mas que Ela passou da morte para vida. Também é bom destacarmos aqui que é aquele que ouve a sua palavra, ou seja, é a palavra do Senhor, e não doutrina de igreja, tratado teológico, discurso filosófico, ou coisas deste tipo. Ou então com o texto de Efésios 2. 8-10: “Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus. Não vem das obras, para que ninguém se glorie. Porque somos feitura sua, criados em Cristo Jesus para boas obras, as quais Deus antes preparou para que andássemos nelas.” A origem da salvação é a graça de Deus, ou seja, graça significa favor imerecido, a fé é meio pelo qual nós nos apropriamos da salvação, ela não ocorre por nossa vontade ou desejo, pois ela é um presente de Deus. Ela não vem das obras pois nenhum ser humano poderá se gloria diante de Deus. Aqueles que converteram ao Senhor Jesus Deus os fez novas criaturas, ou seja, eles nasceram de novo. E Deus realizou estas grandiosa obra neles, com a finalidade delas viverem para Sua Glória. A salvação de um pecador é obra exclusiva de Deus, e Deus quando salva um pecador o salva definitivamente. O pregadores são somente instrumentos nas mãos do Senhor para realizar esta grande obra na vida de um ser humano. Quando o Senhor Jesus Cristo disse que para Deus tudo é possível, Mateus 19. 26. Ele não estava se referindo a milagres e obras extraordinárias. Ele está se referindo é a salvação. Muitas pessoas usam estas palavras para falar do poder de Deus para realizar milagres, curas, fazer uma pessoa prosperar financeiramente e etc. Mas estas palavras estão no contexto onde o Senhor Jesus Cristo tinha travado um diálogo com o Jovem Rico. Depois que o Jovem Rico tinha se retirado, O Senhor olhar para os discípulos e diz que era difícil um rico entrar no reino dos céus, Ele chega a afirmar que era mais fácil passar um camelo pelo fundo de uma agulha. Os discípulos perguntam a Ele, “então quem é que poderia então se salvar?”. O Senhor Jesus, e veja bem, é o Senhor Jesus que diz, aos homens é impossível. Ou seja, a salvação para ser humano independente da religião que ele professa é impossível, mesmo sendo “evangélico”, para ele alcançar esta salvação, para ele se salvar é impossível. Ninguém pode salvar a si mesmo. É Deus que salva o pecador, através da sua Graça infinita, manifesta na Obra redentora do Senhor Jesus na cruz do Calvário. Em outras palavras, o maior milagre que pode acontecer com o ser humano, não é ele ser curado de uma enfermidade, a maior coisa que pode acontecer com o ser humano não é ele ter a capacidade de fazer milagres, ou fazer profecias, ou realizar qualquer outro ato extraordinário. A melhor coisa que pode acontecer com o ser humano, não é ele prosperar financeiramente. Mas é ele, um pecador perdido, morto em seus delitos e pecados ser salvo por Deus, através da Pessoa Bendita e Gloriosa do Nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo. Mas infelizmente para muitas pessoas, Deus é o Deus do impossível para curar, para fazer milagres, para faze-las prosperar materialmente, mas não para salva-las. Ou seja, para estas pessoas ter fé em Deus, vale somente para esta vida passageira e terrena, mas não para eternidade. Mas para você meu prezado leitor, a sua fé no poder de Deus está limitado somente a esta vida, ou está colocada também no poder Dele de te salvar definitivamente para toda a eternidade?

sexta-feira, 25 de outubro de 2013

DEUS ALMEJA SALVAR OS NOSSOS FILHOS.

“Portanto guardai isto por estatuto para vós, e para vossos filhos para sempre. E acontecerá que, quando entrardes na terra que o SENHOR vos dará, como tem dito, guardareis este culto. E acontecerá que, quando vossos filhos vos disserem: Que culto é este? Então direis: Este é o sacrifício da páscoa ao SENHOR, que passou as casas dos filhos de Israel no Egito, quando feriu aos egípcios, e livrou as nossas casas. Então o povo inclinou-se, e adorou. E foram os filhos de Israel, e fizeram isso como o SENHOR ordenara a Moisés e a Arão, assim fizeram.”. “Também acontecerá que, quando o SENHOR te houver introduzido na terra dos cananeus, como jurou a ti e a teus pais, quando ta houver dado, Separarás para o SENHOR tudo o que abrir a madre e todo o primogênito dos animais que tiveres; os machos serão do SENHOR. Porém, todo o primogênito da jumenta resgatarás com um cordeiro; e se o não resgatares, cortar-lhe-ás a cabeça; mas todo o primogênito do homem, entre teus filhos, resgatarás.E quando teu filho te perguntar no futuro, dizendo: Que é isto? Dir-lhe-ás: O SENHOR nos tirou com mão forte do Egito, da casa da servidão. Porque sucedeu que, endurecendo-se Faraó, para não nos deixar ir, o SENHOR matou todos os primogênitos na terra do Egito, desde o primogênito do homem até o primogênito dos animais; por isso eu sacrifico ao SENHOR todos os primogênitos, sendo machos; porém a todo o primogênito de meus filhos eu resgato. E será isso por sinal sobre tua mão, e por frontais entre os teus olhos; porque o SENHOR, com mão forte, nos tirou do Egito", Êxodo 12. 24-28; 13. 11-16. Recentemente retomei a leitura anual da Bíblia. Ou seja, o método em que lendo três capítulos por dia, consigamos realizar a leitura de toda a Bíblia em um ano. Eu já o fiz uma vez, e agora retornei a fazer este processo. E lendo no livro de Êxodo estes dois textos me chamaram a atenção. Todos nós sabemos o contexto em que encontram estas passagens das Escrituras. Deus havia enviado nove pragas sobre o Egito com a finalidade de levar Faraó a libertar o povo de Israel que eram escravos ali. Faraó por diversas vezes endureceu o coração diante dos grandes, e incontestáveis sinais que Deus havia realizado diante de seus olhos. Agora havia chegado o momento em que Deus daria o ultimo e certeiro golpe na corte do Egito. Faraó que havia escravizado o povo de Israel, e que rebeldemente não havia ouvido a voz de Deus ordenando-o a deixar o povo ir. Sofreria em sua própria família a mão punitiva e severa de Deus. Ou seja, Deus mataria o seu primogênito. O herdeiro do trono de Faraó pagou com a própria vida a obstinação do pai. Isto não aconteceu somente com a família de faraó, mas com todo o povo de Egito. Todas as famílias do Egito sofreram um grande golpe naquele dia, pois não havia casa em que não havia um morto. Até nos currais, e nos rebanhos houve a morte dos primogênitos. Deus, porém poupou o povo de Israel. Cada família de Israel devia pegar um cordeiro macho, de um ano, sem defeito, sem mancha, degolá-lo, e passar o sangue na verga, e nos umbrais da porta. Esse cordeiro devia ser comido assado ao fogo, com pães asmos, e ervas amargas. Deus ordenou isto ao povo de Israel, para que quando o Anjo de Deus viesse sobre o Egito para matar todos os primogênitos. Ao ver o sangue do cordeiro, Ele passaria por cima das casas marcadas com o sangue. Daí o nome Páscoa, que significa passagem. Deus por isto ordenou o povo de Israel a guardar este culto, ou seja, esta cerimônia. A cerimônia da Páscoa em memória a este grande evento que acontecera. Deus matou todos os primogênitos do Egito, mas poupou o seu povo, por que este havia aplicado o sangue do cordeiro, em suas casas. Também devido a este feito Deus exigiu a todos os filhos de Israel a consagração de todos os primogênitos. Tanto dos homens como dos animais. Então todo o primogênito que nascia em Israel tinha que ser consagrado ao Senhor. No caso dos filhos, estes deviam ser resgatados, com o sacrifício de um cordeiro. Já os primogênitos dos animais, deviam ser sacrificados ao Senhor, com exceção do primogênito da jumenta, que devia ser decepado a cabeça, ou resgatado conforme o critério do israelita. Mas o que me chamou a atenção é que em ambos os casos o que esta no coração de Deus ao dar estas ordenanças aos israelitas, é a comunicação entre pai e filho. Deus ao ordenar ao povo de Israel a celebrar a Páscoa, tinha em mente a curiosidade dos filhos ao perguntarem aos pais o porquê daquela cerimônia, “E acontecerá que, quando vossos filhos vos disserem: Que culto é este?”. Então os israelitas deviam responder aos filhos: “Então direis: Este é o sacrifício da páscoa ao SENHOR, que passou as casas dos filhos de Israel no Egito, quando feriu aos egípcios, e livrou as nossas casas.”. Ou seja, a páscoa não era somente para trazer a memória dos pais àquilo que havia acontecido no Egito, mas também ensinar os filhos sobre como Deus os havia livrado de tamanha tragédia, (a morte dos seus primogênitos). Do mesmo modo quando Deus os tivesse introduzido na terra prometida. E eles fossem sacrificar os primogênitos dos animais, ou regatar os filhos primogênitos com um cordeiro, e os filhos lhes perguntassem o que era aquilo. Eles deviam responder: “O SENHOR nos tirou com mão forte do Egito, da casa da servidão. Porque sucedeu que, endurecendo-se Faraó, para não nos deixar ir, o SENHOR matou todos os primogênitos na terra do Egito, desde o primogênito do homem até o primogênito dos animais; por isso eu sacrifico ao SENHOR todos os primogênitos, sendo machos; porém a todo o primogênito de meus filhos eu resgato.” Ou seja, a páscoa e a consagração dos primogênitos, não eram somente para levar os israelitas a lembrarem do grande livramento que o Senhor havia realizado entre eles no passado. Mas era também um meio pelo qual ensinavam sobre Deus e a Sua vontade para os seus filhos. Imagine você no lugar de um israelita, você tem uma ovelha, e na primeira cria dessa ovelha você pega o filhote dela e o mata e queima em holocausto. Parece cruel, e uma cena muito forte para deixar uma criança assistir. Mas era para o israelita realizar esta ação perto dos filhos, para que os filhos perguntassem ao pai o porquê dele estar fazendo aquilo. E este pai responderia ao filho conforme as palavras mencionadas acima. Imagine o impacto que esta ação causaria no coração da criança, saber que aquele animalzinho meigo, e singelo, foi oferecido ao Senhor, porque Este havia libertado o seu povo de tamanha servidão do Egito. Imagine a criança aprender desta forma impactante, que o seu povo outrora foi escravo, e liberto de tamanha escravidão através do sacrifício de um cordeiro, e que os primogênitos de seu povo foram poupados, enquanto os do inimigo foram executados. Muito cedo esta criança aprenderia sobre o poder, a santidade, a justiça, graça, e a misericórdia de Deus. Agora aplicando estes textos para os nossos dias. É claro e obvio que nos não precisamos celebrar a páscoa como os judeus, nem sacrificar animais em holocausto hoje em dia. Mas da mesma forma que Deus institui estas duas ordenanças, visado os filhos dos israelitas. Porque desejava gravar nos corações deles desde a infância a grande obra que havia realizado em Israel quando este ainda era escravo no Egito. Da mesma forma Ele quer que eu e você falemos abertamente para os nossos filhos da grande salvação que Ele realizou em nós, e que Ele deseja realizar em nossos filhos. Nos nossos dias Deus não esta tratando mais com uma nação (embora Ele voltará a tratar com Israel diretamente no período da Tribulação), Ele está tratando diretamente com indivíduos. Ou seja, quando o Senhor Jesus Cristo veio ao mundo, ele veio para levar a nação de Israel a converter-se novamente para Deus, pois esta havia se apostatado através de uma religiosidade de aparências, onde era visado somente o exterior, e não uma realidade interior. Os fariseus, escribas e autoridades religiosas do povo. Transformaram a lei de Deus em regras, costumes e tradições. Aquilo que era para levar o pecador a aproximar-se de Deus através do arrependimento. Pois a lei condenava o pecado e as cerimônias eram figuras da Obra redentora do Senhor Jesus na cruz do Calvário. Foi distorcido e manipulado de maneira que ocorreu o contrario, ou seja, o afastamento de Deus através de uma religião de aparências. Então o povo de Israel em sua maioria rejeitou e ainda rejeita ao Senhor Jesus como Messias. Então devido a esta rejeição o evangelho foi direcionado as nações gentílicas, das quais nós fazemos parte. Todo aquele que se arrepende de seus pecados, e entrega a sua vida ao Senhor Jesus Cristo, recebendo-o como Senhor e Salvador de sua alma se torna um membro da igreja de Deus. Ou seja, o povo espiritual com o qual Deus trata nos dias de hoje, um grupo, que esta sendo formado, de pessoas de toda raça, língua, cultura, idade, sexo e etc. Esse povo do qual fazemos parte todos os que cremos no Senhor Jesus Cristo. É um povo espiritual, ou seja, é invisível aos olhos humanos. Sua identidade é de caráter celestial e eterno. Ele não tem morada aqui, suas leis não são daqui, e seu guia é o Senhor Jesus que está assentado a destra do Pai nos céus. Esse povo que outrora também era escravo estava destinado a morte eterna, existia sem Deus e sem esperança. Mas através da obra redentora do Senhor Jesus Cristo eles foram salvos, resgatados do reino das trevas. Hoje eles são livres, verdadeiramente livres. Porque foram resgatados pelo sangue do Cordeiro de Deus (Jo 1. 29). Mas e nossos filhos. Quantos de nossos filhos estão perdidos nas trevas do pecado. Quantos que freqüentaram as reuniões da igreja até certa idade, mas abandonaram-nas ainda jovens, e estão correndo grande perigo no mundo, longe do Senhor. Mas o pior não é isto; quantos que freqüentam as reuniões da igreja, e ainda não se decidiram, e acham que porque são filhos de crentes eles não precisam se converter ao Senhor. E piorando ainda mais a situação é os que pensam que são salvos por que um dia seus pais falaram que estavam na hora de serem batizados, e eles foram batizados, freqüentam regularmente as reuniões de uma religião, realizam até algum ministério, mas nunca entenderam realmente o que é a salvação em Cristo Jesus. Nunca entenderam de fato que são pecadores, e como tais estão destituídos da gloria de Deus. Que para serem salvos precisam crer no Senhor Jesus como Senhor e Salvador pessoal deles. Pois não importam se alguém e batizado, se ele freqüenta assiduamente as reuniões de uma igreja, se ele prega, ou realiza algum ministério, se ele é correto, honesto e trabalhador. Pois embora todas estas coisas tenham o seu valor, para a salvação elas não valem nada. Ninguém será salvo por meio destas coisas, quem baseia a salvação da sua alma em qualquer um destes itens que mencionamos acima, ou mesmo em todos eles, não é salvo, ele está enganado. A salvação é somente possível pela fé na Pessoa e Obra Redentora do Senhor Jesus Cristo na cruz do Calvário, (Jo 14. 6: At 4. 12: 1ªTm 2. 5). Mas muitos de nossos filhos estão nesta triste situação, e por quê? Porque nós os pais não estamos evangelizando os nossos filhos da maneira correta. Nós os levamos as reuniões da igreja, na escola dominical, e então achamos que cumprimos nossa responsabilidade de pais. Quantos que deixam de falar com seus filhos sobre o evangelho antes dos sete anos, pois segundo estes, antes dos sete anos as crianças não tem pecado, elas são inocente, então neste caso não é preciso falar do evangelho com eles. Isto é heresia, onde está escrito na palavra de Deus, que uma criança antes dos sete anos não tem pecado, e que não peca. Alias a palavra de Deus nos deixa bem claro que nós fomos formados em iniqüidade, e em pecado nós fomos concebidos, (Sl 51. 5). Nós nascemos pecadores, e como tais nascemos por natureza separados de Deus. E quanto mais cedo nossos filhos entenderem isto, e entenderem que só serão salvos mediante a fé na pessoa e obra do Senhor Jesus Cristo melhor será para eles. Não estou dizendo que uma criança que morre numa idade, onde ela não tem noção do pecado, que ela vai para o inferno. Não é isto. Mas que deixar de falar do pecado, e das conseqüências do pecado, e de como o Senhor Jesus a amou e se entregou por ela, para salva-la. Simplesmente pelo fato dela ter uma idade onde nós julgamos que ela ainda não entende. Esta atitude está errada. Creio que quanto mais cedo fizermos isto, será melhor para elas. Será que era fácil para um israelita pegar um cordeirinho de oito dias, e matá-lo na frente do filho de três ou quatro anos, que é justamente a idade onde os nossos filhos começam a fazer pergunta para nós. Será que era fácil para esse israelita explicar ao seu filhinho, que aquele animalzinho estava morrendo no lugar dele (da criança). Porque Deus tinha pedido a consagração de todos os primogênitos de Israel. E muita das vezes o pai tinha que explicar isto para o filho primogênito. Mas quantos de nós temos medo de falar para os nossos filhos, que eles são pecadores. Que por causa do pecado eles nasceram separados de Deus, que eles precisam se arrepender de seus pecados, que Deus enviou o Seu Filho Unigênito para morrer como substituto no lugar deles. Que Eles precisar aceitar isto para serem salvos. Que Deu em sua graça através destes fatos, possa nos levar a uma postura diferente, em relação à evangelização de nossos filhos.

quarta-feira, 10 de março de 2010

Apresentação.

O Senhor Jesus Cristo na sua oração sacerdotal rogou ao Pai: "Santifica-os na verdade a Tua Palavra é a verdade" Jo 17. 17.

Nos nossos dias existe muita confusão com respeito a Deus e sua vontade para o ser humano no assim chamado cristianismo. Minha intenção ao criar este blog, é na dependencia e direção do Senhor ajudar aos amados leitores a entender o valor da Palavra de Deus. E que é somente atraves dela que podemos ser santificados destes erros e absurdos que nos bombardeiam diariamente pela midia, atraves dos assim chamados "grandes pregadores", e grandes denominações religiosas. Nunca foi, não é, e nunca será a vontade de Deus: Termos prosperidade financeira, curar, fazer milagres, ou qualquer outra coisa que nos é apresentado no cristianismo professeo. Por isto o nome Santificação Na Verdade. Minha intenção é levar os amados leitores a entender pela Palavra de Deus a Biblia Sagrada. Qual é a vontade de Deus para nossas vidas como cristãos, que é no caso a nossa santificação,1ªTess 4. 3. E o unico meio de isto aconcecer conosco, ou seja,sermos santificados. É atraves do conhecimento da Palavra de Deus 2ªTm 3. 16-17.

Que o Senhor Nosso Deus na sua infinita graça e misericordia nos santifique pela Sua Bendita e Eterna Palavra. Amém.